OAB verifica condições de exercício profissional em Catanduvas

16952_1Uma comitiva da OAB Paraná esteve na semana passada na Penitenciária Federal de Catanduvas, no Oeste do estado, para conhecer o funcionamento da unidade e,  especialmente, avaliar as condições do exercício profissional e o respeito às prerrogativas dos advogados. Entre as reclamações que chegam à Câmara de Direito e Prerrogativas e à Comissão da Advocacia Criminal da OAB Paraná,  a mais preocupante refere-se ao monitoramento de todos os atendimentos profissionais e entrevistas mantidos entre os advogados e seus clientes lá detidos. O monitoramento está amparado numa decisão judicial, mas para a OAB a medida afronta as prerrogativas profissionais da advocacia. O estatuto da OAB estabelece que a entrevista entre advogado e cliente deve ser realizada de forma pessoal e reservada.

De acordo com o presidente da OAB Paraná, Juliano Breda, a Seccional estuda medidas para restabelecer o respeito às prerrogativas, essenciais não apenas ao exercício profissional, mas ao próprio Estado democrático de direito. Além do presidente da OAB Paraná, integraram a comitiva os diretores  Cássio Lisandro Telles, Eroulths Cortiano Júnior e Iverly  Antiqueira Dias Ferreira, o conselheiro federal José Lucio Glomb, o presidente da subseção de Cascavel, Juliano Murbach, o procurador geral da OAB, Andrey Salmazo Poubel, a presidente da Comissão da Advocacia Criminal da OAB Paraná, Priscilla Placha Sá,  e o advogado e membro da Comissão de Direitos Humanos da Subseção de Cascavel, Luciano de Souza Katarinhuk.  A comitiva foi recebida pelo diretor do presídio, Fabiano Bordignon.

Postado em: Notícias | Tags: Sem tags

© 2020 - OAB-PR - Coordenação de Informática - Todos os Direitos Reservados